quarta-feira, abril 02, 2008

Quem foi que pediu pizza?

Um amigo me alimenta num sonho e outro na vida de vigília. Há uma similaridade absurda com os sonhos e os fatos que acontecem antes ou depois deles no cotidiano, isso implica a aceitar o fato de que podemos ver o futuro, presente e passado nos sonhos, mas não sei responder porquê.

A necessidade surge, como uma urgente maneira de fazer com que meu intelecto encontre respostas para supostos fatos espirituais. Não dependemos de religião para criar nossas próprias crenças, dependemos de criatividade e motivação. E, enfim, isso é o que realmente importa.

Hoje em dia cultuamos coisas que nem nos damos conta, como o dinheiro, o sexo, o Orkut, o MSN, a feira livre, o Mercado Livre e até o Submarino. Nós cultuamos aquele celular interessante, cultuamos a televisão, adotamos religiões novas como as dos Jedis de Guerra nas Estrelas e até mesmo acreditamos ser possível os mistérios da série Lost.

Aceitar o fato de que você pode mudar de idéia sobre tudo amanhã, o transforma num verdadeiro Guerreiro das Sombras, porque os Guerreiros da Luz pertencem ao Paulo Coelho. Você pode encontrar o sentido do mundo numa coluna do Jornal da Tarde, num livro de auto-ajuda, na calcinha pendurada no varal da sua vizinha.

Quero dizer com isso que o universo usa de meios próprios e totalmente inesperados para falar contigo e lhe causar insigths. Marte pode chegar tão perto de você, que você sequer entenda o que está acontecendo, as estrelas podem rabiscar nomes hindus no céu e você entender o hinduísmo sem jamais ter tido contato com ele, o caminhão do Sedex pode te trazer um telegrama que muda sua vida pra sempre. Estamos todos interligados, meu povo. Fique de olho na interdependência que o Budismo tanto fala!

Quanto eu pago pela pizza? Obrigada!

5 comentários:

wodouvhaox disse...

êêêêêêêêêê, ela voltou!

o preço da pizza é 5 reais, obrigado

Frei Nando disse...

Depois de séculos sumidos, amantes esquecidos, mundos invadidos, eis ai, srta. Hedra.

Aceitar essa fala da vida, essa noção de alma do mundo é de fato divertido. Uma vez me perguntaram onde estava meu centro, e eu respondi: está ai. Está na mulher que entra correndo pelos corredores do hospital dos servidores no centro do RJ.. está nas sincronicidades entre sonhos e acampamentos extra-ordinários... está ai..

Isso não nos torna "Guerreiros das Sombras", mas as "Sombras dos Guerreiros", afinal, não precisamos ficar passando por 1000 rituais sem sentido para encontrar aquela luz que nubla clareando as maravilhas da existência (desfazendo a insistência)... somos aquela sombra porque não precisamos guerrear sobre as linhas obscuras de guerreiros maniqueistas...

A alteridade é um sopro.

Henrique Artur Wint disse...

É parte de nós cultuar qualquer coisa, no mais, eu aceito um pedaço de pizza.

Hedra disse...

Ok, OW! Eu pago 5 contos! E Henrique, pode pegar um pedaço!

Fernando, vc sempre melhora a expressão do pensamento. Gostei especialmente do centro por toda a parte. Isso me faz plagiar Thelema, "Por toda a parte eu sou o centro".
Enfim, ser a sombra do Guerreiro é interessante, mas se vc é o sol, tudo o que vê é sombra, e se está iluminado, foi porque vc iluminou.

Franca e livre pensadora!

Pizza boa!

Frei Nando disse...

Eu não sou o sol, nem estou iluminado..

... mas aceito uma fatia da pizza

=)