#TheGame23 - Enter the Rabbit Hole








Project 00AG9603 - #TheGame23 mod 42.5 level 5

"00A G9603 develops as a self-organizing organism, connects with the virtual environment through its hosts (admins) by arranging the surroundings randomly for its own autonomous purpose" - Timóteo Pinto, pataphysician post-thinker

"00A G9603 se desenvolve como um organismo auto-organizativo, conecta-se com o ambiente virtual através de seus hospedeiros (admins) organizando os arredores randomicamente para seu próprio fim autônomo" - Timóteo Pinto, pós-pensador patafísico



quinta-feira, janeiro 31, 2008

No Planeta dos Macacos!

Roger estava fumando "um" com os amigos quando umpósitron que se formou emAndrômeda passou por seu córtex, causando uma série dereações nucleares,que acabaram se tornando bioquímicas, e passaram ainterferir nas moléculasdo THC.Não notou nada a princípio, e foi pra casa matar alarica com uma belalasanha. Todos já estavam dormindo, então resolveu irpara o quarto ver tevêcom a fôrma debaixo do braço. Estava passando uma dascontinuações doclássico da ficção científica "Planeta dos Macacos",uma que não havia vistoainda e se passava numa espécie de Guerra do Vietnã.Riu bastante com asaventuras nas quais aqueles gorilões se metiam e logocaiu no sono.No outro dia acordou e preparou-se para ir a aula..'.Roger abriu a porta da casa deu os primeiros passos,olhou a rua e sacudiu acabeça piscando os olhos: todos tinham cara de macaco!Se esquivou ligeiro de volta para casa e pensou umpouco sobre o assunto.Chegou a conclusão que deveria ser algum tipo deflashback do baseado,embora soubeste que um baseado nunca faria uma coisadessas.Aqui podemos fazer um pequeno adendo de cunhoesclarecedor: Roger morria demedo das drogas que considerava pesadas, e nunca ashavia experimentado.Mesmo o inócuo LSD era desconhecido e inacessível.[Era comum aos terráqueosdurante o séc. XX serem totalmente desinformados sobrequaisquer técnicas dealteração neurológicas, principalmente as referentes asubstâncias ou sexo.Apesar disso, vestígios arqueológicos indicam que osconhecimentos já haviamsido alcançados naquela época, mas eram mantidos emlivros deliberadamentecomplexos ou eram atacados por autoridades. Oocasional explorador não correriscos ao carregar suas jujubas, o caramelo não pareceter efeitopsicotrópico acentuado no homo sapiens (Trigueirão,Estudos do efeito docaramelo em 150 homo sapiens abduzidos), pois não évigiado pelasautoridades, e chega a ser vendido a crianças!(Lobsanga Rampa, Manual dosCães de Sírius para Exploração de CivilizaçõesPrimitivas e Planetas TipoM4, Cap. V.)]Olhou-se no espelho para ter certeza de que ele nãohavia sido afetado ecomeçou a duvidar do que tinha visto. Resolveu ir aaula com ou sem osmacacos.Caminhou pela rua desconfiado, observando asmacaquices a sua volta: umengravatado carregava feliz sua maletinha. Outro,fardado, aplicava multasnos carros parados. Uma, zangada, reclamava delas.Alguns faziam uma roda emtorno de um humano - Ah! eles ainda existem! - quetocava gaita por esmolas.O que havia feito de certos homens macacos? Nestemomento ele começou a termedo, apesar de ninguém perceber nada diferente nele.Encontrou Fábio no meio do caminho. Ele não era ummacaco, ufa! Comentou obaseado do dia anterior e recebeu uma resposta fria, oque era estranho:Fábio costumava ser bem mais fissurado do que ele.Fábio começou com um papoestranho de fazer vestibular para direito, e que abanda devia dar um tempo,que seus pais estavam pressionando e desconfiavam dealgo. Roger comentousobre os macacos e recebeu um suspiro de resposta:"Não viaja! Tá se vendoque isso faz mal...". Neste momento Roger notou acicatriz na pleura doamigo e ficou realmente com medo: talvez isso seja omal.Naquela altura Roger nem sabia de onde vinha aexpressão "bode expiatório" ea heresia gnóstica nem passava por sua cabeça. Masapesar disso ele jáestava condenado ao além do bem e do mal. Uma simplespartícula subatômicaque aleatoriamente pousou sobre um axônio tambémaleatoriamentesignificativo causou todo o desconforto.E se ele estivesse errado? Agora já duvidava dosconhecimentos daquela outrarealidade, de onde veio, onde macacos eram animais ehomens eram deuses.Passou pelo Cristo Redentor. Ele também estava comcara de macaco..'.Outro dia, fumando "um" sozinho, pensou nosespermatozóides. Quantodesperdício! Milhares deles morrendo para apenas umpenetrar no óvulo! Seconhecesse Darwin saberia do desperdício sangüinolentoque transformavarépteis em aves ou pitecantropos em homo sapiens.Porém os macacosprofessoresnão deixavam tempo livre para assuntos realmenteinteressantes,seguiam uma coisa chamada "currículo", onde osmacacos-mor haviam definido oque era importante aprender. Darwin estava lá, mas nãosobrava muito tempopara ele, já que em biologia a decoreba denomenclaturas era imprescindível,segundo eles.Roger nessa época nem imaginava o que o Olho naPirâmide significava, ou queainda existiam faraós e escravos.Andava muito mais cuidadoso agora, sabia que oslobotomizados setransformavam em macacos pouco tempo depois daoperação. Desconfiouprofundamente da maconha, e parou de usá-la por meses.Isso melhorou seudesempenho escolar, alegrando seus pais. Eles eramcultos e liberais e nãose importavam com os hábitos do filho. A coisa semprepermaneceu tácita, maso fato deles saberem não ia causar muito problema, eafinal de contas,talvez já soubessem. Ele não gostava de álcool, lhefazia mal. Apenas andavaum pouco preocupado com Fábio, que estava passando demacaco para gambá.Mas mesmo assim, andava nervoso. Estava sozinho. Nãose sentia mais humano,quer dizer, macaco, bolas! Não mais sabia. Se sentiamal ao ficar com asmeninas-macacos. Parecia bestialismo. Era bestialismo.Então conheceu Lia.Agora era ele que parecia um animal desajeitado. Elaapresentou muitosoutros seres humanos não-lobotomizados, perante osquais ele sentia-se umacriança. Ela mostrou a ele os escritos de um humanoprecoce, um talNietzsche, e lhe disse que ele havia ficado louco poisera um humano nummundo quase só de macacos. Ele costumava dizer: "Euensino a ti, homem. Omacaco é algo a ser superado". Lia lhe disse que naépoca ninguém entendeuisso, e que a frase depois foi inclusive usada comodesculpa em uma dasguerras de excrementos entre macacos, na qual umbabuíno bigodudo mandou umbando de chimpanzés para câmaras de gás baseando-se noque entendeu desseargumento.Segundo Lia os homens não deveriam mais defenderterritório com excrementosou armas, e sim convidar os outros para partilharem deseu mundo através desua arte. Ele achava utópico, mas gostava de convivercom sonhadores. Suamaior diversão passou a ser destruir as torresconceituais cercadas por umfosso com muitos jacarés que muita gente gosta deostentar..'.Um dia sonhou com uma velhinha tirando um gato de cimauma árvore. Avelhinha as vezes parecia Lia, as vezes Bast, a deusaegípcia com rosto degato. O gato parecia Nietzsche, mas era ele também.Acordou, abriu os olhose viu um triângulo vermelho na tela de seu computador."
Mas em que inferno de realidade fui cair?"

terça-feira, janeiro 29, 2008

O Digamasigmato

por Papa Duubhglas Juarezzz

Esses dias, como parte do meu projeto auto-mindfuck, eu tava tentando decorar de cabeça o alfabeto ao contrário (z-x-w-v-u-t-s-r-q-p-o-n-m-l-k-j-i-h-g-f-e-d-c-b-a).
Daí eu fiquei pensando: quem diabos criou a ordem do alfabeto? Por que tinha que ser alfa + beta? Quem inventou essa ordem? Por que essa ordem me foi imposta? Por que eu tenho que engolir essa ordem sem questionar? Eu não tenho!

Daí eu decidi criar minha própria ordem! Comentei com o amigo Nem, que simpatizou com a causa e me ajudou a elaborar o digamasigmato!

F-S-L-V-G-O-T-B-H-Z-U-N-C-X-E-W-D-M-R-I-P-Y-J-A-Q-K

Essa é uma ordem totalmente aleatória, mas eu achei ela bastante simpática. O nome, assim como alfabeto, vem das duas primeiras letras: f - digama /s - sigma. Mas eu poderia muito bem escolher um nome qualquer. Essa ordem poderia se chamar José, inclusive.


Saiba Mais:
Projeto Heteroclitices

domingo, janeiro 20, 2008

1,2,3...

Sim! A bruxa retorna, solta de outras dimensões, para lhes trazer boas ou velhas, novas ou más. Arauto de distorções temporais, venho lhes trazer as efemérides multidimensionais estapafúrdias, porém contemporâneas, da fanfarrona Éris. A primeira novidade cósmica foi a descoberta de uma misteriosa nuvem no centro da Via-láctea que ajudou os cientistas cá da beirada dessa pitoresca galáxia a desvendarem o mistério da antimatéria...Uma brincadeira da burlesca Éris...Graças a tal evento, porém não tendo muito a ver e inspirados em tal fato, outros cientistas fanfarrões conseguiram fazer com que um macaco controlasse a distância os movimentos de um robô. Sim! Se antimatéria anula matéria, por que haveriamos de controlar caixas-eletrônicos, e-mails, torradeiras, relógios, spams, ipod´s e playstations?Deixem para os macacos, intrépidos e sedentos por desenvolverem o córtex cerebral e diminuírem a diferença genética de 1% para com os homos que sabe-se lá porque são sapiens...Bem, Éris certa vez, em um chá com golfinhos(que possuem o lobo frontal tão grande quanto dos primatas), disse faceiramente que essa sim, era a grande piada primordial ... Enquanto isso, em uma não muito distante localidade do espectro rádio-televisivo, Éris resolveu fazer uma pequena participação ao vivo em um programa de pilhérias culinárias artesanais...Nos lembrando sempre que no excêntrico sensacionalista mora a realidade de que nós não queremos controla-lá (a tal realidade) e que sim, queremos que os fogões elétricos, os carros movidos á biocombustível, os bancos de dados on-line assumam o controle junto dos macacos... que na verdade almejam apenas robôs plantadores de bananas e destruidores de cana de açúrcar(que dá cárie e é péssima para a perfomance sexual primata), poços de petróleos e celebridades, instântaneas ou decadentes, que nunca terão sua matéria nos tablóides anuladas pela antimatéria de uma nuvem piadista no centro da galáxia...

Câmbio desligo e passo a marcha....

Menos é Mais

-->-=+<--

sexta-feira, janeiro 18, 2008

O dia que o mundo não girou.

Pra uns, tudo é muito simples, mas muito monótono. Para outros, tudo é muito complicado, mas muito interessante. Para outros ainda, tudo é muito complicado, e muito monótono. E para mais uns, tudo é muito simples, mas muito interessante.
É uma divisão simples e, ao meu ver, bem acurada. Tentar caracterizar qualquer um desses grupos com qualquer outra coisa seria tornar tais afirmações mais errôneas do que já podem ser. Afinal, pessoas são como são, e só por terem pontos em comum não quer dizer que elas pensem igual sobre certos assuntos.

"O dia que o mundo não girou" é uma teoria que diz que em algum lugar do passado todas as probabilidades mais improváveis foram verdadeiras ao mesmo tempo. O Azarado ganhou na loteria, o Feio casou com a Miss Mundo, a Gostosa ficou sozinha, o Esperto errou tudo, o Burro tudo acertou e o Estranho não disse um "A" fora da linha, sequer pensou.
Obviamente isso tudo causou um paradoxo exponencial que alterou a realidade, e tudo que era improvável foi acontecendo direto. Até que o mundo não girou. E aí fudeu tudo... Alguém teve que tomar uma providência e apagar aquilo da História, tendo que refazer tudo como estava antes. E, é claro, alguns erros escaparam e algumas medidas de segurança foram tomadas.
Em outras palavras, as coisas improváveis se tornaram mais improváveis ainda, enquanto outras menos importantes sairam vagando por aí feito loucas, acontecendo direto. Eu acho uma boa teoria, explicaria muita coisa na minha vida xDDD

Também explicaria a divisão proposta no começo. Monótono e interessante. Simples e complicados. Muitas improbabilidades, poucas improbabilidades. Seremos todos guiados por este erro passado?

Então, faz algum sentido?

quarta-feira, janeiro 16, 2008

Não existe abraço grátis

por Pedro Ivo Resende

Rodolfo, o espírito de porco. Fazia sinal para os ônibus pararem com uma saudação nazista.

- Rodolfo, você nem sabe o que aconteceu. Pra começar, paguei muito barato nesse celular. Adivinha quanto foi!
- Uns três reais.
- Assim também não. Nenhum celular é tão barato. Paguei cento e cinqüenta reais.
- É um preço razoável.
- Mas escuta, fui conversar com o vendedor da loja e ele me pediu quinhentos reais. E tinha que pagar à vista. Aí eu virei pra ele e disse "Vai tomar no cu, quinhentos reais é um absurdo!".
- Posso fazer um parêntese?
- Sim.
- Você não falou "vai tomar no cu" na hora. Pode até ter pensado nisso, mas não falou. Não teve a coragem. As pessoas sempre se põem como os grandes heróis das histórias que contam.
- É... Na verdade eu conversei com ele numa boa. Gostei do cara. Parcelamos o aparelho em três vezes de cento e cinqüenta. Mas você não sabe da maior! Quando fui pagar, eu ganhei uma promoção e levei esse outro celular de graça. Olha só, não foi legal?
- Sim, foi legal, mas só para você que ganhou o prêmio. Eu não achei legal. Fiquei com uma ponta de inveja, para falar a verdade.
- Mas por quê? Você não fica contente pelos seus amigos?
- Não, pelo contrário. Eu até gosto de você mas, por exemplo, quando sua mulher te largou, meu coração se encheu de alegria. Foi um dia especial. Você passou a ser um fudido, como eu. Não estava mais sozinho no clube.
- Meu deus, você é um monstro!
- Um monstrinho.
- Um monstro desprezível.
- Um monstrinho afável.
- Um monstro desprezível e perverso.
- Um monstrinho afável que precisa de um abraço. Ele está se desculpando com você.
- Bem... eu não sei.
- Vamos lá, anda.

Os dois amigos se abraçam. São de momentos como estes que a vida é feita. Eles se desvencilham e Rodolfo aproveita para preencher o vácuo do momento com um comentário saudosista.

- Lembra quando você estava se recuperando de uma ponte de safena e eu te mandei um presente?
- Lembro, lógico. Foi aquela latinha que, quando você abria, pulava uma cobra lá de dentro. Eu tomei um susto e precisei voltar para a sala de cirurgia. Mas isso não importa, você se lembrou de mim, mostrou que se importa.
- Pois então: mais um abraço pro monstrinho aqui?
- Não, chega Rodolfo!

quinta-feira, janeiro 10, 2008

O Círculo Quadrado

por Rev. Ibrahim Cesar

Da Comunicação oficial entre REV. IBRAHIM CESAR (1986-????) e TIMÓTEO PINTO (????-NUNCA): “Esse cara não pára de me mandar textos e mais textos discordianos. É muito perigoso como o nobre colega sabe ficar escrevendo tantas verdades. Quando lhe perguntei de onde os tirava temi na hora que ele me respondesse com um palavrão. Sua resposta no entanto não foi nem um pouco esclarecedora. Tudo o que o maldito bastardo me disse foi: ‘Irrelevante’. Segue o primeiro deles para apreciação”.

O CÍRCULO QUADRADO, UMA FÁBULA DISCORDIANA, divinamente inspirado por Éris a Rev. Voynich

ATCHUNG! Esta história que vocês irão ter o (des) prazer de acompanhar pode ser verdade. Pode ser mentira. Pode ser verdade ou mentira. Verdade e mentira. Ou pode ainda não ser nenhum dos dois. Interpretações tanto literais como metafóricas são encorajadas desde que não use isso como desculpa para queimar nenhuma mulher que deu bola para você ou explodir gordinhos em torres. Obrigado.

Conta-se que há muito tempo atrás quando Éris conheceu YHVH (você não pode dizer isso), a mesma não ficou nenhum pouco impressionada. E garotas como Éris são do tipo que qualquer sujeito faria de tudo para impressionar.

“Eu sou o Alfa e o Ômega, sabe?” YHVH disse puxando papo. “Todo-poderoso. Não há coisa nenhuma que eu não possa fazer sabe? ”


“Oh. Sério?” Éris respondeu bocejando de tédio, mais preocupada em observar Teseu se abaixando para levantar algo. Esses caras gregos usavam aquelas togas e se quer saber, sempre que se baixavam para pegar alguma coisa era simplesmente uma indecência. E sujeitos como Teseu estavam sempre se abaixando. Alguns historiadores como Rutherford e Newton, inclusive sustentam a tese de que o clássico “derrubar o lenço” das mulheres nasceu ali na Grécia, para que essas indecências acontecessem. “Eu sempre gostei mais de Pi. Ou Kappa. Alfa é muito nariz empinado, sabe? Por ser o primeiro e tal. E o Ômega, a não ser que esteja em uma trindade não é nenhum pouco legal”.

“Trindade?”, YHVH pensou. “Mas vamos, senhorita…Diga-me algo para fazer”.

Éris no mesmo momento teve certeza de que ele a estava paquerando. Olhou ele dos pés à cabeça e teve a idéia de criar mais discórdia. Esse era o emprego dela afinal.

“Ok”, ela disse cruzando os braços. “Diga para aquele cara ali, olhe…”

“Jó?”, YHVH perguntou espantado. “Acho melhor não, sabe? Eu já (censurado) a vida dele”.

“E que tal aquele?”

“Abraão? Tudo bem. O que eu faço?”.

“Mande…Ele matar o filho dele”.

Nessa época os deuses ainda sabiam o nome e as fofocas de cada pessoa no mundo. Hoje em dia divindades como YHVH possui assessores para lidar com isso e não se dá ao trabalho de nem saber o nome do papa. YHVH chamou um dos seus moleques de recado (formalmente conhecidos hoje como anjos, mas que na época não eram nenhum pouco respeitados. Para se ter uma idéia, no panteão egípcio, YHVH tinha a mesma fama de Michael Jackson por causa de seus “garotos” de quem dizia “gostar de dividir minha cama com eles”).

“Oh. Não. Não mate o pobre coitado!”, Éris se deu conta.

“O quê?”, YHVH perguntou confuso.

“Você não pode fazer tudo, Gama?”, ela o desafiou.

“É Alfa. E Ômega. Posso sim”, ele disse antes de assobiar para um de seus garotos que olhou para ela e mostrou a língua antes de evitar o pior.

“Viu?”, YHVH perguntou enquanto olhava para o garoto interrompendo Abraão que ficou realmente muito bravo quando o sujeito com asas de galinhas de surgiu e disse “Punk’d” ou algo assim.

“Não”, Éris disse. “Você não pode”.

“Claro que eu posso”.

“Não. Não pode”.

“Eu aposto que posso, senhorita! Eu aposto por De…Pela vida do meu único filho!”

“Ok”, Éris disse. “Faça-me um círculo quadrado”.

“Censurado”, YHVH pensou.

Éris olhou para ele com pena e o deixou lá. Após esse pé na bunda, YHVH saiu em cólera (alguns dizem chorando) e saiu contando para todo mundo que Eva havia comido a bendita maçã quando na verdade ela era apenas a mulher do jardineiro. Eles eram naturalistas. Séculos mais tarde YHVH pagaria a sua aposta.

O resto é história.

terça-feira, janeiro 08, 2008

Reflexos de Si como Hihimoços de Sabedoria

por Reverendo Gibi Pirastífero


Como o hihicroned é tão imprevisível, nulo e adaptável!
Tão primal e inteligente!
Tão influenciável e útil!

Irei contar uma história muito mais que verídica. Uma história possível!

Assim como Lho ficava deslumbrado com a harmonia hihicroned e com o próprio jeito holístico de ver as coisas, Tro estava infesado, querendo separar tudo com seu jeito analítico.
Ó mas que ingenuidade a minha: Tro e Lho são a mesma pessoa atualmente, mas em outros tempos, Tro era uma grande vilã.
Então Lhtro estava olhando para as nebulosas dançantes, mas dessa vez no próprio casulo que tinha formulado em sua pérola. Era igual ao seu lugar do trono, mas agora ele podia entrar no ar e soprar si mesmo. E foi isso que aconteceu...

Abriu-se um livro em tudo. Todo o mundo se abriu em livro, um livro com uma única palavra multiplicada diversas vezes: H!H!CRONED
Assim, o escriba que vcs vêem quando vêm me ver agora era Lhtro e ele começou a escrever diversas palavras: HIHICRONED H!H!CRONED HiHiCrOnEd.
Mas o escriba era tão hihicroned que ele começou a imaginar e, então, o escriba que era antes Lhtro se viu em uma sala com um computador em uma mesa de hihicroneds.
No mundo Ahooooo, parte Cyber, gritou Ahooooooo e acabou vendo o próprio escriba mais novo, a um tempo atrás.
O escriba mais novo estava falando no mundo Cyber.
Ele depois, acabou de falar.
"Ó" - disse o escriba velho - "Estou ouvindo palavras tão sábias que agora estou achando que sou um Hihimoço da Sabedoria..."
Tudo estava in-memória de alguem ou algo, mas de lá ele pôde retirar muitas coisas que ele considerava sábias.
Mas o próprio Sábio Hihimoço encrustado in-mundo Ahooo do escriba pensou:
"A cada época, a cada soluço, a cada solstício, a cada era, a cada livro aberto, a cada Ahoooohihicroned gritado é produzido um Hihimoço de Sabedoria a partir de olhadas no espelho, seja in-mundo Cyber, in-mundo Ahoooo, in-mundo Hoooo, in-Bio... Portanto, o que vc vê in-Cyber, no caso, tu mais novo falando, é um Hihimoço de Sabedoria justamente pq vc é um escriba mais velho e com mais contato com hihicroned, sendo possível assim vc tirar mais coisas sábias ou mais coisas diferentes das falas dele. O seu personal mundo Ahoooo mudou, junto com as captações que vc tira de si mais jovem."

Quando Lho, Lhtro, voltou para sua pérola linda e negra, ele tinha percebido que tinha desejado aprender.