#TheGame23 - Enter the Infinite Rabbit Hole






What is #TheGame23?

"It is what it isn't though that isn't what it is and like I've always said I think that it's exactly what you think it is. If you believe it is whatever someone else told you it is then you're doing it all wrong because you're the only one who could possibly know what it is." - zed satelite nccDD 23 ksc


Project 00AG9603 - #TheGame23 mod 42.5 level 5

"00A G9603 develops as a self-organizing organism, connects with the virtual environment through its hosts (admins) by arranging the surroundings randomly for its own autonomous purpose" - Timóteo Pinto, pataphysician post-thinker

"00A G9603 se desenvolve como um organismo auto-organizativo, conecta-se com o ambiente virtual através de seus hospedeiros (admins) organizando os arredores randomicamente para seu próprio fim autônomo" - Timóteo Pinto, pós-pensador patafísico



quinta-feira, maio 29, 2008

Igreja das Santas Bicicletas

no principio era a roda
e
a roda criou, em seis dias e seis noites
a bicicleta
no sétimo dia, a roda, descansou.

segundo o teólogo ommar, o culto da roda (logo da bicicleta) é um culto lunar.
no entanto outros iluminados, de influência ocidental, defendem ser o culto impregnado de ritos fálicos. solares, portanto.
o facto das rodas velocipédicas possuírem raios e, muitas vezes, se levantarem questões que se prendem com a estética do selim…

são estas, talvez, as bases da fundamentação dos doutos teólogos…


de qualquer forma a fé na roda e seus doze discípulos que constituem a unidade velocipédica, é fundamental para a consolidação da nossa crença.
passemos ao âmago da questão:
o kaos gerou a roda
e
a roda
gerou os raios
e
gerou as manetes
o garfo
o quadro
o selim
a cremalheira
a corrente
o volante
os pedais
os guarda lamas
a campainha
e
a roda pedaleira.
estes, os discípulos - não, de todo, apóstolos. a nossa fé não será jamais apostólica - e eles são o todo.
a unidade.
a deusa criadora e criativa.
enfim…
a bicicleta.
bom.
a bicicleta está em toda a parte. presente. omnipresente.
e
muitos são os seus nomes - mas o seu verdadeiro nome jamais será pronunciado.

DOS SACERDOTES E CORPO LITÚRGICO

os nossos ritos são nocturnos e guiados pela sabedoria do grão (também conhecido pelo nome de grão da alfarroba).
grão da alfarroba porque é o detentor da grande sabedoria e, a sabedoria, tal como o conhecimento dos mistérios velocipédicos estão encarcerados no interior da vagem da alfarroba.
o grão tomou conhecimento desta realidade quando, à sombra de uma alfarrobeira perdeu a virgindade.
o grão não é pois - de todo - virgem. os nossos sacerdotes tão pouco o são.
daí que os nossos cultos lunares sejam muitas vezes influenciados por cultos fálicos.
logo; somos uma religião equilibrada, pura, natural
e
etc. & tal

http://fundacaovelocipedica.wordpress.com/

:::

Projeto Sái do Chão! -> Religião Freak <-

segunda-feira, maio 19, 2008

Projeto EMEM

Para ser mais claro, MEME é igual a um EMEM ao contrário. Ou um EMEM ao inverso. Nada mais que isso.

Mas como raios isso será posto em prática? Simples. Farei o EMEM, não convidarei ninguém e CITAREI quem me linkou.

Daí entra outra pergunta: mas como essa citação se a pessoa citada nem fez o EMEM pra ti? É exatamente esse o mindfuck. Confusão mental garantizada.

Conseqüências disso? Começo com o EMEM, cito quem hipoteticamente me indicou, este faz o EMEM e cita alguém que hipoteticamente o indicou e por aí vai.

Desse modo, não deixa de ser um mecanismo Dawkiniano, somente que desta vez funcionando de maneira inversa.

Premissas definitivas ->

Segunda. Eu tenho certeza de que isso não vai pra frente, até porque causaria uma grande confusão para uma grande normalidade. Se por acaso der certo (o que eu duvido!!!!! [5 exclamações]) e se por acaso esse mecanismo ememético atingir 115 (23X5) participantes, farei 115 horas anuais de ..... [5 pontos] durante 5 anos.

Terceira. Publicarei em algum lugar os detalhes do EMEM em breve.


Grande abraço.

segunda-feira, maio 12, 2008

Discordianismo por Rev. Ibrahim Cesar

Representante moderno de Carneades, o discordianismo é uma religião baseada no caos fundada no ano de 1958. Qualquer afirmação sobre o discordianismo, nunca sobrevive a um exame mais minucioso. Isso por que, divergir sobre o que são e o que fazem, é lei entre os que se declaram praticantes do mesmo. Primeiro, porque para alguns o discordianismo é apenas uma sátira, uma piada disfarçada de religião. Para outros, na verdade é uma religião disfarçada de piada.

Criação

Os criadores do discordianismo foram Gregory Hill, também conhecido como Malaclypse ( autor do principal livro, o Principia Discordia) e Kerry Wendell Thornley, ou Omar Khayyam Ravenhurst ou ainda Ho Chi Zen.

E foi desenvolvido como um exercício de guerrilha ontológica no que eles chamavam de Operação:Mindfuck através da “versão Irmão Marx do zen”, o discordianismo.

Zen

O discordianismo embora a primeira vista não pareça, é o zen ocidental. Kerry Thornley, anos mais tarde de criar o discordianismo, sob o nome de Ho Chi Zen, lançou uma série de panfletos sobre a zenarquia.

O zen nasceu na China, como uma escola do budismo mahayana, que é notável por sua ênfase na plena aceitação do momento presente, ação espontânea, e o abandono do pensamento julgamentoso e auto consciente. O zen ainda se divide em vários ramos, sendo mais notórios dois deles: Soto e Rinzai. Enquanto a escola Soto dá maior ênfase à meditação silenciosa, a escola Rinzai faz amplo uso dos koans.

Koans são histórias, diálogos, questões, ou afirmações geralmente contendo aspectos que são inacessíveis ao pensamento racional, ainda que possam ser acessados à intuição. Um dos mais famosos e que figura no Principia Discordia é este: “Qual o som de palmas com uma mão só?”

Da mesma forma, o discordianismo faz amplo uso de histórias, diálogos, questões, afirmações, imagens e qualquer coisa que provoque a confusão, a Operação:Mindfuck. O propósito é sacudir as pessoas de suas zonas de conforto e levá-las a pensar.

Caos

Os discordianos que seguem o erisianismo, usam Éris, a deusa grega do caos e da discórdia, como divindade. A palavra caos irá aparecer muitas vezes no material discordiano. Sobre tal é digno de nota, que para um discordiano, caos não é antônimo de ordem. Para eles, o caos é a natureza da realidade. O antônimo de ordem é a desordem. Eles apenas querem conscientizar a sociedade moderna que busca a ordem em tudo, de que vivemos em um Universo caótico e que não existe essa coisa que chamamos “verdade”. Como escreveu Robert Anton Wilson, também conhecido como Dr. Mordecai Malignatius no meio discordiano:

"A iluminação discordiana é alcançada quando você se conscientiza de que, apesar de a deusa Éris e de a lei dos cinco não serem literalmente verdadeiras, nada é literalmente verdadeiro. Dos cem milhões de sinais zunindo, recebidos a cada minuto, o cérebro humano ignora a maioria, e organiza o resto em conformidade com qualquer sistema de crença estabelecido nele. Podemos selecionar sinais ordeiros e legais e dizer que tudo é projetado por uma inteligência cósmica, como no tomismo, ou selecionar sinais caóticos e afirmar que Deus é uma Mulher Louca, como no discordianismo. O cérebro ajustará os sinais recebidos aos dois sistemas de crença… ou a uma dúzia de outros."


Brasil

Não é certo quando o discordianismo chegou ao Brasil. Mas foi graças à sua presença na internet que ele conseguiu continuar existindo em nossas terras. Nos últimos anos, com o avanço de algumas descobertas em psicologia e física se aproximando dos ideais pregados pelo discordianismo e o aumento de sua presença na internet, ocorreu um aumento no número de seguidores. Seja ele uma piada disfarçada de religião ou uma religião disfarçada de piada, parece que o discordianismo veio para ficar.

Referências:
MAL-2. Principia Discordia. Tradução brasileira: Ibrahim Cesar, 2005
WILSON, Robert Anton. A Nova Inquisição. Madras, 2004
WILSON, Robert Anton. O Gatilho Cósmico. Madras, 2004
WILSON, Robert Anton. The Illuminatus! Trilogy. Dell Publishing, 1984
ALHAZRED, Abdul. Necronomicon. Tradução para o latim: Olaus Wormius, 1228

fonte: 1001 Gatos de Schrödinger

quinta-feira, maio 01, 2008

Projeto Peixe Grande



Em meio a uma era obscura, obnubilam-se consciências, o mar de trovões invisíveis amaldiçoa as cabeças pensantes tornadas cadáveres insipientes: zumbis agonizantes, terra de gente grande!

Pequenos arados tricksters brincam em meio a novidades bricoladas: colas, sapatos e meias rasgadas. Divulguemos, sem mais demoras, o archote peixífero: PROJETO PEIXE GRANDE.

Depois de fracassos musicais como o peixe morto, é a vez de um peixe que supere esse estado de coisas. O Projeto Peixe Grande (PPG) pretende, no dia 08/08/08, uma codificação massiva: Transmutar blogs, páginas, muros em PEIXES GRAÚDOS. Nossos espectadores-artistas perguntarão, em solene tom: “Mas como seria isso possível?”.

A resposta em acordo dissonante rasga o véu: Nesse exato dia coloquem, sem delongas, fotos de peixes GRANDES em vossos blogs, provando, dessa forma, que vos próprios são PEIXES GRANDES... E não apenas queridos companheiros! O peixe tem sido durante séculos o símbolo de Cristo, ou seja, DE DEUS TORNADO HOMEM...

Já é hora, contudo, DE TOMARMOS ESSE POSTO! Com GASOLINA E ALCOOL tomemos esse pilar, chamemos a responsabilidade de ser um DEUS, ou um deus ex machina, para nós mesmos!

PROJETO PEIXE GRANDE! Porque não pensamos pequeno!