domingo, novembro 02, 2014

A LOUCURA (Não, a Lou não cura nada)

Estava eu comendo meu assado de calabresa quando de repente me senti sugado em um buraco negro.
Fui parar em uma dimensão desconhecida. Lá era tudo rosa e tocava músicas do Franz Ferdinand. Não havia árvores e nem água. Apenas um céu rosa com chão rosa e pôneis malditos peidando arco-íris. Um ser veio e me entregou um pergaminho da qual o conteúdo está logo abaixo:

A LOUCURA

1.      Esses laços cor de rosa que amarram as cabeças dos que pensam.
2.      Pobres coitados! São atormentados por seu próprio destino.
3.      Oh Deus! Me perdoe por amar.
4.      Esse ódio dentro de mim me perturba!
5.      É como se tivesse leões comendo o meu ego!
6.      Me deixe em paz! Essa loucura precisa terminar.
7.      É o direito lutando contra o esquerdo e o esquerdo conta o direito.
8.      É a razão contra o amor e o amor contra a razão.
9.      Quem está certo?
10.  Preciso de respostas...
11.  Vou até o infinito para tal.
12.  É por isso que o amor deve estar de baixo da vontade.

13.  Loucura é negar.


Depois de pegar o pergaminho eu não lembro como sai de lá. Voltei imediatamente ao meu assado de calabresa com um rolo de papiro cor de rosa com o selo da maça dourada...


Nenhum comentário: